Inicio » Destaque » Pouca procura faz desaparecer cabaz nos supermercados

Pouca procura faz desaparecer cabaz nos supermercados

  • Redacção Farol
  • Publicado sexta-feira, 25 de dezembro de 2020

Boa parte dos supermercados da província de Luanda mostram-se com muito pouco cabaz. Dos cinco supermercados que o Farol de Angola visitou, apenas dois estão a vender cabaz de Natal, com a alegação de estarem a ter pouca procura.

A nossa equipa de reportagem fez uma ronda nos supermercados, a começar com o Kero, onde encontramos a ser comercializado três tipos de cabazes, nomeadamente o Cabaz Diamante, Cabaz Ouro e o Cabaz Prata.

O cabaz Diamante custa 77.900 Kz e é composto por: 1kg de açúcar branco,1kg de arroz tio Lucas, uma lata de atum de 120 gr, azeite Oliveira portuguesa de 750 ml, azeitona verde 100gr, bolacha água e sal ,sortido cuetara 210 gr, bolacha Maria tio Lucas 125 gr, café solúvel frasco ginga 100 gr, cereais gloops tio Lucas 250gr,chá preto caixa Sona 10 saquetas, esparguete 400gr, salshicha Izidoro Frankfurt 8 unidades, tempero Garcia 500ml,tomate pelado 390gr,vinagre cereal 4° salador,vermute Cinzano Rosso 0.75lt, vinho regional Alentejo perdiz, vinho regional Lisboa 0.75 LT, whisky indica red 0.70Lt, espumante corte real 0.75 LT, farinha de trigo tio Lucas 1kg, feijão vermelho 1kg, Fermento em pó trevi 125gr, Goiabada 300 gr, leite condensado uami 390 gr, margarina azolia 450gr,massa espirais tio Lucas 500gr, óleo palma guiniea’s, óleo de soja, entre outros.

No Candando, recebemos informações, sob o anonimato, de um trabalhador, segundo a qual o preço do cabaz varia de acordo com o bolso e preferência do cliente, tendo acrescentado que eles têm cabazes disponível desde os 13 mil Kz, sendo que o mais caro pode custar até 2 milhões de Kz.

O mesmo frisou que têm tido pouca compra, e que montam os cabazes na hora e com a composição que o cliente desejar.

No supermercado Maxi, este ano, não está e nem vai vender cabaz de Natal. Fomos também à Angomart, onde a gerência nos informou que este ano também não farão a venda de cabaz.

Texto: Aurora Chifuanda



Deixe o seu comentário!