Inicio » Atualidade » Centralidade do Sequele conta com nova escola de jornalismo

Centralidade do Sequele conta com nova escola de jornalismo

  • Farol Angola
  • Publicado quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

A FINÁCIO-Escola de Jornalismo Online abriu oficialmente às suas portas ao público ontem (12/01) na Centralidade do Sequele, em Luanda.

O acto simbólico de inauguração foi presidido pelo jornalista Francisco Inácio, fundador e mentor do projecto “Oficina da Imprensa”, que tem o sonho de criar a maior rede de jornalistas independentes de África.

O projeto escola de jornalismo foi implementado no seu próprio apartamento e testemunhada exclusivamente pelos alunos da primeira e segunda turma do curso de jornalismo designado Oficina da Imprensa, que é um programa de formação que teve início no dia 01 de setembro do ano passado.

O fundador da primeira escola de jornalismo online de Angola, Francisco Inácio (à esquerda), ladeado do aluno mais velho do curso de jornalismo Oficina da Imprensa

Inicialmente, não dispondo de salas próprias, o curso era ministrado em instalações alugadas no Nosso Centro-Gamek, em Luanda. No primeiro programa foi possível o treinamento de 34 estudantes de jornalismo que aprimoraram as técnicas de redação de notícia, entrevista e reportagem num periodo de quatro semanas de exercícios práticos e três meses de estágio no www.faroldeangola.com

De acordo com o jornalista Francisco Inácio, mentor do projeto, com instalações próprias será possível iniciar novos cursos de especialização para profissionais para profissionais de comunicação, sobretudo uma particular aposta no ambiente digital.

Assim sendo, a Finácio Escola de Jornalismo Online vai abrir inscrições para cursos de web-jornalismo, empreendedorismo e gestão de website de notícias, assessoria de imprensa, edição de vídeo e som, além do tradicional curso profissional de jornalismo “Oficina da Imprensa”.

No final do evento de inauguração da escola de jornalismo online, uma das estudantes formadas na Oficina da Imprensa mostrou-se satisfeita pela experiência.

Luís Graciano, 61 anos, foi o aluno mais velho do curso Oficina da Imprensa e teve a honra de descerra a placa de inauguração da escola de jornalismo online

“Consegui ter uma visão mais ampla e concreta do universo jornalístico. Foi na Oficina da Imprensa que aprendi a escrever uma notícia na prática”, disse Madalena Vici.

Por sua vez, Luís Graciano, 61 anos, que foi o aluno mais velho da primeira turma, encorajou todos os aspirantes a jornalistas a frequentarem a escola. “A Oficina da Imprensa é um curso prático onde começamos a escrever notícia desde os primeiros dias de aulas. Aproveito a oportunidade para sugerir que seja também introduzida a vertente de empreendedorismo no curso de jornalismo com objetivo de termos jornalistas que sejam capazes de criar projetos geradores de emprego”, apelou o kôta, como é carinhosamente tratado pelo formador.

Mais adiante, o kôta (Luís Graciano) aconselhou os jovens a investir na sua formação profissional, porque “o conhecimento não tem preço, mas tem valor”.

Texto: Fatoumata Touray.



  1. Eu, Julieta Humba venho felicitar à Fatoumata pela grande reportagem especial, aquando da inauguração do novo Centro de Formação dos Jornalistas, que a Centralidade do Sequele teve o privilégio.

Deixe o seu comentário!