Inicio » Destaque » Catorze certidões de óbitos entram no processo das vítimas de conflito político

Catorze certidões de óbitos entram no processo das vítimas de conflito político

  • Redacção Farol
  • Publicado sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

O acto de balanço do processo das vítimas dos conflitos políticos aconteceu hoje, Sexta-feira, em Luanda, sob a orientação do Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Manuel Monteiro de Queiroz.

O processo  denominado ‟abraçar e perdoar” teve  início no dia 17 de Dezembro do ano passado, tendo resultado na entrada, até o momento, de 14 certidões de óbitos, para a Comissão de Reconciliação em Memória das vítimas dos Conflitos Políticos.

O governante reconhece a fraca adesão dos familiares das vítimas dos Conflitos Políticos ao processo e pede maior divulgação do processo nos órgãos de comunicação social.

O processo ‟abraçar e perdoar” tem como objectivo o  perdão e a emissão de certidões  de óbitos dos cidadãos desaparecidos durante  os conflitos políticos de desde 11 de Novembro 1975 à  04 de Abril de 2002.

Segundo o Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queiroz, o  processo está em curso, para aquisição da certidão de óbito das vítimas dos Conflitos Políticos,  basta dirigirem-se a uma conservatória com um  documento ou testemunha que comprove o desaparecimento da vítima em causa, enquadrado nos conflitos políticos. 

De acordo o Ministro, no processo ‟abraçar e perdoar” , o 27 de Maio é uma questão complexa que tem merecido muita abordagem por causa de várias Associações  existentes face a esta data  27 de Maio, pelo que garantiu que há um diálogo que está a ser feito com estas organizações no sentido de se  encontrar  um único núcleo representativo desta data.

Para homenagear as vítimas dos Conflitos Políticos, o  governante garantiu que está em construção um Monumento, na Boa Vista, Cine Miramar.

 Texto: Sérgio Gaspar



Deixe o seu comentário!